Pages

porque eu queria dizer umas coisas ao deus falso...



Olá!
Hoje quis escrever-te só a ti, ó deus falso!
Já há muito tempo que encontro “funcionários” teus que, com muito rigor, tentam falar-me de ti. Baseiam-se em livros muito grandes e pesados.
É!... E esses teus servos, já te conhecem todo.
És tão pequeno e previsível que, tudo aquilo que és cabe nos livros e nas expectativas daqueles que só olham para ti… hoje já nem és grande novidade!...

Muitas vezes vejo como te confundem, ó deus falso, com homens e mulheres que tiveram vidas bonitas, ou que foram teus servos, diante de cujas “fotografias” muitas pessoas se prostram em veneração (esperando que elas as tratem bem, metendo-te assim umas cunhas, só para aplacar os teus maus humores, e concederes coisas boas à vida)
És tão falso, ó deus falso!...
E não tens rosto nenhum, e parece que todos os que te adoram gostam de se lembrar mais dos mortos do que dos vivos.

Eu acho que, se tivesses rosto, deveria ser aterrorizador!
Sim, porque o que muitas vezes me disseram é que és um deus bom, se nos portarmos bem, mas… e então se nos portarmos mal?
Disseram-me, deus falso, que ficarias triste e até zangado, outros tempos houve em que até diziam que castigavas a quem se portasse mal.
Digo isto porque, inventaste um conjunto enorme de regras muito especiais, com as quais todas as pessoas, de igual maneira, tenham o Coração e a vida e o Amor que tiverem, têm que ser escravas destas “normas” só tuas.
Olha, ó deus falso, tu não gostas dos Corações livres e felizes e daqueles que gostam de redescobrir o que de mais belo tem a vida!

Tu, deus falso, estás sentado num trono qualquer muito dourado e rebuscado, ou então em caixas bonitas, num lugar muito longe, muito alto, e olhas lá do alto para nós, “de alto a baixo”, como seres dignos da tua pena, e assim como te dizes um deus bom, então distribuis bocados de paraíso aos “bons” da História, em troca de “moedas” de várias espécies.
Às vezes, ó deus falso, vejo-te atrás de um balcão a atender pedidos, quando te apetece fazer isso, claro!, mediante a nossa oferta de sacrifícios (mas sacrifícios daqueles que doem na pele, mas não curam Corações, nem os torna libertos e felizes!)

Ó deus falso, já vi que gostas muito de danças e cantigas muito elaboradas só para ti. São só para ti porque quem participa nelas não olha para os dançarinos participantes que têm ao lado ou em frente, durante essas danças, e raramente alguém percebe o que significam todos aqueles movimentos. Eu sei que os fazem porque todas as pessoas fazem assim. É que se não fizerem estas coisas que nem entendem, pensam que tu, ó deus falso, as mandarás um dia para um lugar muito feio onde ficarão de castigo por algum tempo, como se fosse numa sala de espera, ou então ficam por toda a eternidade.

Ai, deus falso, como és mentiroso!...
O que mais me custa nisto tudo, é dizerem-me tantas vezes que, porque todos somos maus e nenhum de nós estaria à tua altura para te pedir desculpa, por sermos assim… atiraste com o teu filho à nossa Terra, que confundem tristemente com Jesus, e dizem que a humanidade inteira o assassinou, e tu, ó deus falso, querias isto assim, e porque ele se deixou matar então ficámos todos perdoados (isto, confesso, nunca percebi, mesmo, mas pronto, sempre houve “funcionários” teus, mais especialistas no assunto, a dizer que isto era assim, sem se poder duvidar… e todas as pessoas tinham que acreditar, sem levantar questões!!! Mas que é absurdo, lá isso é!)
Tu, ó deus falso, segundo tantos dizem, no fundo no fundo mandaste o teu filho, que confundem com Jesus mas não é ele, para consertar alguma coisa que estava avariada na humanidade (também isto nunca entendi!... Se tivesses sido tu, ó deus falso, a criar-nos, ter-nos-ias criado tão imperfeitos e maus a ponto de precisarmos, um dia, de um bom “arranjo”?! Até parece que o imperfeito aqui és tu, ó deus falso!)

Deixa-me dizer-te, ó deus falso… que desconfio teres os dias contados, cada vez menos pessoas acreditam em ti!
É bom que desapareças depressa com as tuas mentiras, porque os Corações não são livres e felizes quando olham para ti.
Sabes que o meu Deus…. o Verdadeiro, é que vencerá, e há-de esmagar-te, porque és vazio de sentido!... Tens os dias contados, acredito nisto, porque o meu Deus, o Verdadeiro, faz-me acreditar, com alegria, que um dia nos veremos todos livres de ti.

Vou-te dizer quem é o meu Deus, gosto tanto de falar dELE… nunca me canso de falar dELE… porque é como uma notícia feliz e deliciosa que se dá, se saboreia, que apaixona e liberta, e ensina a esperar que um dia vamos viver felizes numa eterna dança onde todos se olham nos olhos e se amam nELE, com ELE

Como vês, ó deus falso, o meu Deus Verdadeiro, não cabe nos livros, porque sabe ser sempre novidade, e sempre surpreendente, sempre imprevisível, porque é mesmo Deus… sempre, quando parece que já O conhecemos, ainda descobrimos mais ainda para nos maravilharmos… só um Deus Verdadeiro, maior que a nossa inteligência, pode acontecer assim!
O meu Deus Verdadeiro não cabe nos livros, não cabe mesmo!

O meu Verdadeiro Deus nunca está triste, revolvem-se-lhe as entranhas maternais quando alguém sofre, porque não é indiferente ao nosso sofrimento, e está connosco, mas é um Deus feliz, sempre, porque acredita com fé em nós, que possamos aprender a ver bem e a encontrar o sentido de tudo, no meio do absurdo do sem-sentido… vê muito mais longe que nós… é mesmo Deus!

O Deus Verdadeiro, deixa-me dizer-te, ó deus falso… não gosta nada de regras, porque, para ELE, é impossível estabelecer normas para Corações e vidas tão diferentes, cada Coração é único para ELE… ELE nunca poderia criar regras universais quando ELE vê cada Coração como um único tesouro que ELE mesmo quer cuidar!

Ó deus falso, o meu Deus Verdadeiro não conhece poltronas de nenhuma espécie… ELE prefere estar tão junto de cada pessoa, que até vive dentro de cada uma, e só sabe amar, amar, amar, e mostra-o a quem se deixa amar por ELE, e ama silenciosamente respeitando a quem não quer o abraço dELE.

A Casa do meu Deus Verdadeiro é muito grande… cabem lá todos os Corações, todos mesmo! ELE fala todas as “línguas”, conhece todas as “cores”, sabe todas as “artes”… e na Festa dELE todos têm lugar à mesa. Quem quiser sentar-se à mesa tem lugar… quem não quiser sentar-se, ELE espera… e tem sempre o lugar reservado para ele, só para o caso dessa pessoa mudar de ideias, ELE espera e deseja que todos entrem na festa!

Olha, ó deus falso, foi o meu Deus Verdadeiro que criou o mundo inteiro, e até é desnecessário tentar perceber como foi que isso aconteceu, porque ELE é mesmo Verdadeiro, e fez tudo ao Seu jeito divino, é tão Deus que é inexplicável o modo como ELE criou tudo…
Desconfio que foi como que uma explosão de Amor, na Família dELE, que não Se “conteve” em Si mesmo, tal como todo o Amor Verdadeiro e fecundo, e nós sabemos isto porque fomos criados parecidos com ELE, é fecundo, não sabe esgotar-Se em Si e derrama-Se criando, recriando, renovando, sempre no Amor… sempre no Amor…

Para que não houvesse dúvidas disto, através de Jesus, o Rosto dELE mesmo, ELE mesmo nos disse como tanto nos ama, como tanto quer fazer parte de nós. ELE quis “dizê-lo” através de Jesus porque ELE, como tanto nos ama, deu-nos a liberdade de O abraçar ou não abraçar…
E em Jesus vemos o Caminho Verdadeiro para a Vida!
Jesus levou esta missão tão a sério que se deixou cair desamparado nos braços do Abba, confiou nELE, confiou-se a ELE, profundamente habitado pela Ruah que lhe sugeria como haveria de acontecer isto. Jesus foi tão fiel ao que sentia ser o anúncio desta boa notícia do beijo de Deus a todos os Corações, este tão profundo desejo de Aliança, que levou até ao fim esta missão, sem nunca vacilar, sem jamais a negar.
O Abba exultou de alegria ao ver Jesus fiel nos Seus braços, exultou tanto que o confirmou e lhe disse: “És o primeiro do meu Filho”
e suscitou-o de novo, para que todos soubessem com toda a certeza que toda a sua vida foi Verdadeira, que toda a sua vida foi Caminho, que toda a sua vida foi sinal da Vida verdadeira na Casa, na Festa do Abba!
… muitas pessoas não entendem isto ainda… e ainda se vão agarrando a ti, ó deus falso, porque tu és mais pequeno e fácil de entender para algumas pessoas
… mas é o Deus Verdadeiro que vai inspirando os Corações para que O busquem, porque nELE o Coração se torna inteiro, livre e verdadeiramente feliz!
O Deus Verdadeiro ama, e ama de graça!...

.
.
.
.

9 comentários:

Rui Santiago disse...

Oh ANAWIM, "porque querias dizer umas coisas ao deus falso"...

mas o que fizeste foi um HINO ao DEUS VERDADEIRO que nos faz LIVRES e FELIZES, maiores que tudo o que nos pesa.

Um Deus VIVO e VERDADEIRO, o de JESUS, que nos liberta do mundo da fatalidade e da resignação triste diante do pecado, da injustiça, do mal ou do sofrimento, e nos POE DE PÉ com a certeza de que, no Seu Amor, nós próprios nos tornamos maiores que o pecado e a morte!

Gostava que todos os discípulos de Jesus, hoje, passassem por "aqui", e lessem o teu texto como um convite à Liberdade e à Alegria dos Bem Aventurados do Evangelho...

Prometo-te que vou fazer a minha parte... MUITO OBRIGADO por te teres deixado "levar" pela ternura da Ruah a ponto de te tornares VOZ destas coisas...

Muito Obrigado, também, por teres conseguido o feito de escrever um post maior que a maior parte dos meus... Já é dizer!!!

SHALOM

Que BOM é o nosso DEUS...

joaquim disse...

O Deus verdadeiro é "atingível", porque se mostra, porque se dá, porque se entrega, porque ama infinitamente...

O deus falso é inatingível, para que não se perceba que é falso, está lá no seu cantinho a aterrorizar os passantes, a receber, sem nunca dar, até que se esgota, porque é finito...

Obrigado amigo anawîm, por este texto, melhor, por esta inspiração do vento que sopra nos corações que procuram a verdade, como o teu...

silvino disse...

� deus falso de arame farpado protegido ..tens mesmo os dias contados, e olha que n�o s�o tantos quanto pensas^^

figlo disse...

"Todos os deuses me metem medo" !(Miguel Torga in Diário).
Deuses tão falsos e enganadores, como falsos,enganadores e destruidores são os medos que nos levam a fabricá-los.
Só Aquele que nos é revelado em Jesus Cristo é verdadeiro, fiel e nos consola. O seu Amor Eterno é a sua fraquesa

multiolhares disse...

Os livros de “deus” foi escrito por homens
Os homens alteram as verdades, por que lhes interessa, ou
Por não terem luz suficiente para entender os significados
Reais, agora penso que só se nos modificarmos
Interiormente vamos aos poucos de encontro ao Deus.
No fundo o mundo é feito por homens
E somos nós que estamos a degradar o mundo,
Por orgulho, malvadez, raivas e por ai fora
Temos o livre arbitro de decisões

Beijinhos
luna

Alma rebelde disse...

Tem razão Anwin, Deus só sabe AMAR.
Esses deuses deturpam a verdadeira realidade.
Pior de tudo é quando em crianças nos incutiram no espírito o Deus do castigo,do terror e da vingança.
São "feridas" que levam muito tempo a sarar.
Lamento que a Igreja a que "pertenço" tenha sido uma desilusão e um fracasso completo durante longos anos da vida.
Hoje apenas confio num,em Jesus ,essa certeza ninguém me arranca do coração.
Quantas almas perdidas e confusas por causa desses deuses.
Abraço e bom fim de semana

pe.cl disse...

Já li e reli vezes sem conta este teu belíssimo texto e de cada vez que tento comentar fico sem saber o que dizer, apenas te digo obrigado e por ti agradeço ao Abba pela inspiração que coloca nesse teu coração lindo e que tu partilhas connosco, obrigado por mais uma bela oração.

Abraço no Pai.

Anónimo disse...

Comentário?! depois de vários dias a ler o mesmo texto apenas consigo dizer, muito obrigada!Maria c.

Anónimo disse...

Estive à espera que tivesses um "fim de semana mais calmo" (desculpa o abuso), para poderes partilhar mais dessa tua intimidade...
Quero agradecer-te pelo que escreves. Tem me ajudado muito. É certo que os textos são densos, mas fico sempre à espera de mais... não me canso de ler e meditar.
Recebe um Abraço ou um beijinho.